News

Homem acusado de atirar no líder eslovaco "motivação política," oficial diz

O ministro do Interior eslovaco disse quinta-feira que um “lobo solitário” foi acusado no tiroteio que feriu gravemente o primeiro-ministro Robert Fico e provocou um exame de consciência entre os líderes de uma sociedade profundamente dividida.

Fico estava em estado grave, mas estável, na quinta-feira, disse um funcionário do hospital, depois que o líder populista foi atingido várias vezes em um ataque. atentado contra a vida dele que abalou o pequeno país e repercutiu por todo o continente semanas antes das eleições europeias.

O tentativa de assassinato chocou a pequena nação da Europa Central, com muitos culpando o ataque, em parte, pela extrema polarização política que dividiu o país.

O ministro do Interior, Matus Sutaj Estok, disse na quarta-feira que uma investigação inicial encontrou “uma clara motivação política” por trás do ataque a Fico enquanto ele participava de uma reunião do governo em uma antiga cidade mineradora de carvão. No entanto, ele disse na quinta-feira que o suspeito acusado era um lobo solitário que “não pertencia a nenhum grupo político”.

O ministro não especificou qual foi a motivação. Fico é há muito tempo uma figura divisiva na Eslováquia e noutros países, e o seu voltar ao poder no ano passado, com uma mensagem pró-Rússia e antiamericana, levou a preocupações ainda maiores entre os colegas membros da União Europeia de que ele abandonaria o rumo pró-Ocidente do seu país.

FOTO DE ARQUIVO: PM eslovaco Robert Fico visita Berlim
O primeiro-ministro da Eslováquia, Robert Fico, fala durante uma conferência de imprensa em Berlim, Alemanha, em 24 de janeiro de 2024.

Nadja Wohlleben/REUTERS


O atentado contra a vida de Fico ocorreu num momento de grande divisão na Eslováquia, quando milhares de manifestantes se reuniram repetidamente na capital e em todo o país para protestar contra as suas políticas. Também surge pouco antes das eleições de Junho para o Parlamento Europeu.

O presidente cessante e o próximo presidente da Eslováquia — rivais políticos — apareceram juntos num apelo aos eslovacos para que ultrapassassem as suas diferenças políticas cada vez mais tensas para o bem do país.

A presidente cessante, Zuzana Caputova, oponente de Fico, disse quinta-feira que os chefes dos partidos políticos do país se reuniriam num esforço para trazer calma, dizendo que o ataque era um reflexo de uma sociedade cada vez mais polarizada.

“Vamos sair do círculo vicioso de ódio e acusações mútuas”, disse Caputova numa conferência de imprensa na capital Bratislava. “O que aconteceu ontem foi um ato individual. Mas a atmosfera tensa de ódio foi o nosso trabalho coletivo.”

O presidente eleito, Peter Pellegrini, apelou aos partidos políticos para que suspendam ou reduzam as suas campanhas para as eleições europeias, que terão lugar de 6 a 9 de junho, para evitar “impasses e acusações mútuas entre políticos”.

“Se há algo que o povo da Eslováquia precisa urgentemente hoje, é pelo menos um acordo básico e uma unidade entre a representação política eslovaca. E se não for um consenso, então, por favor, pelo menos formas civilizadas de discutir entre si”, disse Pelligrini.

TOPSHOT-ESLOVÁQUIA-POLÍTICA-Tiro
O primeiro-ministro eslovaco, Robert Fico, é transportado de um helicóptero em uma maca por médicos e seus seguranças após ser baleado.

AFP/Getty


O governo de Fico, eleito em Setembro passado, causou controvérsia ao suspender as entregas de armas a Ucrânia, e tem planos para alterar o código penal para eliminar um procurador especial anti-corrupção e assumir o controlo dos meios de comunicação públicos. Os seus críticos temem que ele conduza a Eslováquia – uma nação de 5,4 milhões de habitantes que pertence à NATO – por um caminho mais autocrático.

Zuzana Eliasova, residente na capital Bratislava, disse que o ataque a Fico foi um “choque” para a nação e um ataque à democracia numa altura em que as tensões políticas já estavam elevadas.

“Acredito que muitas pessoas ou mesmo toda a sociedade irão olhar para a sua consciência, porque a polarização aqui tem sido enorme entre todas as diferentes partes da sociedade”, disse ela.

Os médicos realizaram uma operação de cinco horas em Fico, que inicialmente estava em estado de risco de vida, segundo a diretora do Hospital FD Roosevelt em Banska Bystrica, Miriam Lapunikova. Ele está sendo tratado em uma unidade de terapia intensiva.

Cinco tiros foram disparados do lado de fora de um centro cultural na cidade de Handlova, quase 136 quilômetros a nordeste da capital, disseram autoridades do governo.

A polícia eslovaca não forneceu informações sobre a identidade do atirador. Mas relatos não confirmados da mídia sugeriram que ele era um aposentado de 71 anos conhecido como poeta amador e que pode ter trabalhado anteriormente como segurança em um shopping no sudoeste do país.


Oficial dos EUA revela tiroteio no líder eslovaco, transferência de armas para Israel e muito mais

06:36

O Conselho de Segurança da Eslováquia deveria se reunir na capital, Bratislava, na quinta-feira para discutir a situação, disse um escritório do governo, acrescentando que uma reunião de gabinete se seguiria.

Fico regressou ao poder na Eslováquia no ano passado, tendo anteriormente servido duas vezes como primeiro-ministro. Ele e o seu partido Smer têm sido frequentemente descritos como populistas de esquerda, embora também tenha sido comparado a políticos de direita como o primeiro-ministro nacionalista da vizinha Hungria, Viktor Orbán.

O regresso de Fico causou preocupação entre os seus críticos de que ele e o seu partido – que há muito estava contaminado por escândalos – afastariam a Eslováquia da corrente dominante ocidental. Ele prometeu uma postura dura contra a migração e as organizações não governamentais e fez campanha contra os direitos LGBTQ+.

Apesar da controvérsia em torno da liderança de Fico, a condenação do ataque veio tanto de seus aliados quanto de adversários. Na quarta-feira, o Presidente russo, Vladimir Putin, enviou uma mensagem ao Presidente Caputova, expressando o seu apoio e desejando ao primeiro-ministro uma recuperação rápida e total.

“Este crime atroz não pode ser justificado”, disse Putin na mensagem divulgada pelo Kremlin. “Conheço Robert Fico como uma pessoa corajosa e obstinada. Espero sinceramente que estas qualidades pessoais o ajudem a superar esta situação difícil.”

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, também denunciou a violência contra o chefe de governo de um país vizinho.

“Todos os esforços devem ser feitos para garantir que a violência não se torne a norma em qualquer país, forma ou esfera”, disse ele.

Source link

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button