Sports

Um golpe imprudente na garganta de um superstar da NHL ultrapassou os limites

Então, durante a maior parte do jogo de domingo à noite entre o Canucks de Vancouver e Lubrificadores de Edmontonhouve duas narrativas paralelas – uma no gelo, outra nas redes sociais.

No gelo: como Vancouver estava vencendo mal a batalha do goleiro, novato Arturs Silovsjogando excepcionalmente bem (e muito melhor que seu homólogo dos Oilers Stuart Skinner). Silovs parou 41 dos 44 tiros. Ele fez a diferença absoluta na vitória por 4 a 3 em Vancouver, que deu aos Canucks uma vantagem de 2 a 1 na série NHLsemifinal da Conferência Oeste.

Nas redes sociais: como o preconceito do árbitro estava funcionando contra os Oilers, que não estavam recebendo sua cota de decisões, da dupla de arbitragem de Chris Rooney e Graham Skilliter.

Mas no final, a jogada mais suja da noite aconteceu assim que soou o apito final; e Silovs fez uma parada final para vencer o jogo no regulamento.

Connor McDavid estava atrás da rede, lutando com Carson Soucy. Soucy cruzou McDavid, e McDavid cortou-o nas calças. Não foi muito – ou até o parceiro de defesa de Soucy, Nikita Zadorov entrou na briga. Enquanto Zadorov cruzou McDavid por trás, fazendo com que seus joelhos dobrassem, Soucy cruzou-o na garganta.

Esse golpe definitivamente ultrapassou os limites.

Sim, o hóquei nos playoffs é intenso. Sim, as equipes geralmente não conseguem deixar tudo de lado quando o apito final soa, porque essas são séries melhor de sete e, quando o Jogo 3 termina, a postura para o Jogo 4 começa.

Os Canucks terão sorte, porém, se chegarem ao Jogo 4, com Soucy na escalação.

Um cruzamento no rosto, como o que ele fez, levou a punição a outro nível. No final, Soucy recebeu uma penalidade menor aplicada na campainha, o que é completamente inconseqüente se a NHL não seguir com disciplina suplementar.

O hóquei nos playoffs da NHL é, obviamente, um animal diferente da temporada regular. Alguns jogadores são feitos para isso – Zadorov é um exemplo disso. Zadorov – adquirido do Chamas de Calgary em uma troca no início desta temporada – foi adicionado por causa de seu tamanho e disposição para jogar um jogo físico. Às vezes, seu jogo na temporada regular era irregular. Mas nos playoffs, e especialmente nesta série contra os Oilers, ele tem sido uma força poderosa e intimidadora.

Em determinado momento do jogo de domingo, ele finalizou uma checagem Evander Kane, que derrubou Kane no banco de jogadores de Edmonton. Não contente em simplesmente tirar Kane da superfície do gelo, Zadorov deu mais dois empurrões para garantir que ele permanecesse lá. Isso lhe rendeu uma penalidade violenta. Mesmo assim, isso não acabou custando nada aos Canucks, porque os próprios Oilers foram condenados por um banco menor, por retaliar do banco.

Os Canucks adquiriram Zadorov apenas para esses momentos dos playoffs – ele entende que no hóquei nos playoffs alguém precisa fazer o papel de vilão de Vancouver, porque se ninguém o fizer, os McDavids e Leon Draisaitls acabarão fazendo você pagar.

Zadorov também pode ser astuto. Presumivelmente, ele entendeu que sua verificação cruzada pós-jogo com McDavid era apenas limítrofe o suficiente para escapar de mais justiça da NHL. Então pensando estrategicamente.

Soucy, por outro lado, se empolgou com a última resposta. Você simplesmente não pode cruzar a garganta de alguém, a qualquer momento. O departamento de segurança dos jogadores da NHL tem estado estranhamente quieto até agora nestes playoffs, mesmo com as controvérsias de arbitragem aumentando de jogo para jogo e de série para série.

O fato de ter sido McDavid quem recebeu aquela dupla verificação cruzada acrescenta mais lenha ao fogo. Lembre-se, há menos de três anos, uma narrativa popular dizia que McDavid não conseguia uma folga dos árbitros da NHL – que, estatisticamente, ele marcou pouquíssimos pênaltis, considerando seu nível de habilidade, seu tempo no gelo e sua produção.

A polêmica chegou ao auge em novembro de 2021, numa época em que McDavid era o segundo colocado na liga em pontuação, mas apenas o 57º no empate de pênaltis. E isso depois de ele ter passado um playoff inteiro no ano anterior sem marcar um pênalti – realmente inimaginável, considerando a maneira como ele joga.

Quando McDavid finalmente comentou sobre isso, ele foi chamado por ninguém menos que John Tortorella, que estava então entre empregos de treinador, trabalhando como locutor da ESPN. Tortorella o aconselhou a “honestamente, calar a boca. Pare de falar sobre isso.

Quase parecia que McDavid, por ter uma aceleração que meros mortais não conseguiam igualar, recebeu mais punição do que o justificado por ser muito bom.

Com o tempo, o momento passou e a controvérsia desapareceu.

Às vezes há uma percepção de que a NHL sai do seu caminho não para proteger jogadores de elite, porque pode mostrar favoritismo. É claro que isso é um absurdo. Os jogadores só querem uma coisa dos árbitros: consistência, tanto quanto possível, de turno em turno, de período em período e de jogo em jogo.

Em outras palavras, o mesmo tratamento para os jogadores jornaleiros e para as estrelas do jogo. Mas a consistência também deve ser aplicada nos dois sentidos. Você não pode ignorar o que aconteceu aqui, só porque era McDavid sendo maltratado. O que Soucy fez foi imprudente e perigoso. É quase certo que uma suspensão está chegando. Caso contrário, o que já é uma série turbulenta de Oilers-Canucks tem uma chance real de se transformar em um verdadeiro caos.

(Foto: Paul Swanson / NHLI via Getty Images)



Source link

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button